marte

efeito especial
no meu defeito espacial
teu amor é tal
galáctico
na proa de um quasar
você me leva como se eu não tivesse mais compromisso
omisso, me deixo levar
nossa união é estável
não envolve igreja ou Estado
é carnal
espiritual
desnecessário procurar nos 4 cantos da Via Láctea
não há nada que nos pare
até que marte nos separe.

o céu cai toda vez que você diz meu nome

trago de vida

escuto melhor do ouvido esquerdo
o escuro é melhor do que o raio de luz cedo
ainda assim prefiro a claridade
ainda assim prefiro morar na cidade
onde ninguém anda na calçada direita, (pois) escuto melhor do ouvido esquerdo
se não te escuto você não existe
se não te vejo você não me importa
se não te sinto você provavelmente significa mais do que deveria
e sabendo disso tudo, insisto em andar na calçada esquerda
no centro da cidade
onde a luz do sol não pode me alcançar
perto o bastante para o toque mas não o bastante pra te escutar
te mantenho do lado direito
você me mata sem jeito
e eu meio que gosto disso
viver é morrer, e o que eu sempre quis foi um trago de vida.

tem dias que eu não alcanço o céu e tem dias que eu esqueço que não alcanço.

criança esquecida

um poeta que não escreve
é só
sofredor
solitário
solto então, sofro em vão?

um poeta que não escreve é por si
refúgio e desconforto
sem a descarga de nenhum
explodo por dentro por segundo
imundo

poeta ou tolo?
não vejo a diferença
crença urbana, senso comum
contrário a tudo que represente a ciência
como se o consolo
fosse geral a um
a mim
pobre criança esquecida pra fora de casa.

eu pinto o céu de cinza e torço pra não chover

papel

papel vende, papel rende
papel compra o papel verde
papo é claro e sendo assim,
por que o papagaio pensa o pior de mim?
prato caro, prato raro
prato brilha,
e ai de quem fingir o oposto
posto fica, poste não
o dia passa, eu nasço, cresço e adoeço em vão
pra morrer no seu colchão
pra morrer
não há salvação.

eu pinto o céu de azul e deixo as janelas abertas.

gênese

28 amargo
28 à margem de algo
28 de março
vim te ver hoje, de noite faço
vinte outros desastres, fiascos
virem através de outro descaso
virarem tudo, nada, é tudo vago
refaço tua porta, aurora
(ou o que quer que represente suas defesas)
faço o que puder pra te ver
vim de 28 de março
se pudesse saber o dia de minha morte,
será que eu gostaria de saber?

fractal limitado, tal é a vida

agosto

tristeza é pra quem pode
se servir
tristeza a gosto
pra não desfigurar o papel em pauta
do gosto do que falta
e do que já nem faz falta
bom gosto é pra quem tem
gosto
e pra quem não tem, é bom também
não me prende não que eu já tô no chão
qualquer excesso acima disso já é abuso
o gosto de agosto que parece março ainda
o ano foi embora e eu fiquei
preso no chão
qualquer excesso acima disso já é abuso.

olhos de f̶a̶b̶í̶o̶l̶a̶ cigana

te olho
me olhando
seus olhos
seus
ainda assim meus
te olham
me olhando
no que tanto pensa?
será que o mesmo que eu?
será que sente tal desespero por me despir
como te desejo?
ainda assim não tirar os olhos
dos seus
olhos
me olhando
quanto mais pisca mais preciso olhar
eu vejo um universo por trás dos seus
olhos
gostaria que você olhasse também
mas sem tirar
os seus olhos
dos meus
que olham os seus
olhos
me olhando.

boca

te escrevi um poema no guardanapo
te falei o quanto prezo suas ideias e seu papo
tentei não ser óbvio nas rimas
mas você já me conhece bem demais
escrevi sobre seus olhos e os comparei com a lua
e outros corpos celestes
take it easy baby, don’t make it fast
nunca vou admitir mas gostaria de te fazer feliz do nariz
e da nuca
te deixar louca
você me usou pra limpar a boca.

você é muito mais forte do que você pensa que é(e você já pensa que é forte pra caramba)

menina maluca que chora com o vento
te lavo o dedo te curo o pé
maluca menina
me fala não vem

ocupada
mas se quiser pode vir
eu vou
você sabe
eu sei
mas você sempre sabe mais

eu já nem finjo
que todo lugar com você vira esconderijo
você não toma mais antidepressivo
eu reparei
você não olha os dois lados pra atravessar
você não aguenta mais do que 20 segundos sem ar
seu coração bate no contratempo
entre desmaios e cuidados
o mundo cai lento
eu fico parado
mas se você se mexer
eu corro atrás.